Como salvar seu casamento

Como salvar o seu casamento, será nosso assunto de hoje.  Poucas pessoas sabem, mas meu casamento já passou por uma crise bem ruim, brigas e discussões aconteciam diariamente e isso desgastou muito a nossa relação.

Vou contar quais foram as minhas atitudes, e dar sugestões resumidas de como salvar o seu casamento, afinal, posso afirmar no presente momento, que sou uma pessoa realizada e muito feliz. Seguem algumas dicas que me ajudaram muito:

  • Não se afastar do outro – independente do que acontecer uma pessoa que se sente rejeitada e deixada de lado fica muito ruim, eu tinha mania de discutir e não olhar mais na cara do meu marido, e isso só foi acabando mais ainda com meu casamento, até que em uma briga, ao invés de virar as costas eu conversei normalmente com meu companheiro, isso não foi algo difícil e me ajudou a aprender a realmente conversar com meu marido.
  • Pratique mais gestos de carinho – um abraço, um elogio, um cafuné são ótimos gestos de carinho, então pratique isso com frequência, e aos poucos você irá reatando aquele afeto que vocês tinham antes.
  • Antes de discutir pare e pense, será que isso vale a pena? – Será que vai valer a pena eu brigar por isso? Pense antes de falar ou discutir com seu parceiro, às vezes é melhor evitar um conflito tão pequeno onde a tendência é acabar em uma situação indelicada.
  • Lembre-se das qualidades – você enxergava nele ou nela somente pontos positivos, e com o passar dos anos, a admiração é deixada de lado dando espaço para reclamação dos defeitos e a queixa do que antes não lhe causava mal nenhum. Por isso, neste momento de crise no casamento, é muito importante lembrar, “não existem pessoas perfeitas”, a partir do momento que existe amor, a maneira de enxergar o parceiro deve ser com mais tolerância, sabendo respeitar e demonstrar toda compreensão com suas manias, não deixando que isso atrapalhe sua relação. Libid Gel

A maior dica de como salvar seu casamento, é entender que isso não vai acontecer de uma hora para outra, ou do dia pra noite. É preciso agir, dar o primeiro passo, porém requer muita paciência. As coisas irão se resolvendo com o tempo e tudo volta ao lugar e com o tempo, o amor, a alegria e o carinho estarão de volta ao seu relacionamento. Max Power

Bom pessoal, falamos hoje um pouco sobre como salvar seu casamento. Comentem a opinião de vocês a respeito desse assunto. Até nosso próximo encontro!

 

O que você deve fazer para melhorar sua vida sexual?

Uma equipe de cientistas, liderada por Heather Blunt-Vinti , analisou a vida sexual de quase 200 casais para responder a uma pergunta muito precisa: a comunicação durante o sexo, verbal e não verbal, prevê o grau de satisfação sexual? ?

Os resultados, publicados no Journal of Sex & Marital Therapy , indicam que sim, existe uma correlação entre os dois.

“Em geral – diz a equipe de Blunt-Vinti no estudo – os resultados deste estudo indicam que uma maior comunicação durante o sexo (tanto verbal quanto não verbal) está associada a uma maior satisfação. Pesquisas anteriores se concentraram na comunicação antes do sexo e da comunicação após o sexo, mas a comunicação durante o sexo é uma área negligenciada na investigação da comunicação sexual “.

A pesquisa mostrou que a comunicação durante o sexo pode ser benéfica tanto para o relacionamento quanto para a satisfação sexual. Os autores esperam que o estudo seja usado para educar melhor as pessoas sobre como ter uma vida sexual saudável.

Eles também apontam que a comunicação durante o sexo não é a mesma para todos. Cada pessoa tem uma maneira de realizá-lo. “Por exemplo”, acrescentaram os autores do estudo, “já que muitos casais podem se sentir desconfortáveis ​​com a comunicação verbal direta sobre o prazer sexual, os terapeutas podem recomendar que a comunicação não-verbal seja usada também”.

Finalmente, os autores têm uma sugestão adicional para aqueles que tentam fortalecer sua vida sexual: esqueça os roteiros. Em outras palavras, tente deixar de lado os papéis tradicionais e seja criativo. “Encorajar uma ampla discussão sobre nossa adesão cultural a roteiros sexuais tradicionais ou papéis estereotipados durante o sexo, e a crescente necessidade de desviar desses papéis, poderia permitir uma maior comunicação sobre prazer sexual, desejos e necessidades, e, posteriormente, levar a um aumento na satisfação sexual “, concluem.

Como viver melhor

Como viver melhor será um assunto muito bom para compartilhar. Acredito que todos nós desejamos uma vida tranquila, serena, com felicidade e satisfação. Mas para que isso se torne a nossa realidade, quais os passos a seguir?

É possível perceber que a felicidade é contagiante. Ela se espalha de forma muito ampla ao longo de um dia de trabalho, atingindo não apenas as pessoas diretamente envolvidas, mas pessoas com até três graus de afastamento.

Os cientistas também descobriram que a felicidade se espalha muito mais rápido do que a tristeza e a depressão, com um efeito muito mais poderoso. Mas não é necessário ser feito uma pesquisa científica para saber como viver melhor.

Separamos alguns tópicos para vocês:

  • Absorva somente o necessário, em qualquer lugar que for pode haver alguém falando ou fazendo algo desnecessário, e mesmo que seja sobre você saiba relevar, assim estará fazendo bem a si mesmo.
  • Acredite em você e em seu potencial, além do poder, terá a capacidade de fazer tudo o que planejou independente de pensamentos negativos. Invista em seu sonho e corra atrás de sua realização.
  • Seja humilde, por mais bem sucedido que se encontra, a simplicidade o torna admirável. Já a soberba acarreta tristeza nas pessoas, além de não ser bem visto na sociedade.
  • Enxergue o mundo de uma forma diferente, todos sabem das injustiças e desigualdades existentes no mundo, por isso é preciso enfrentar esse tipo de desafio, fazendo o melhor para conquistar um espaço mais justo e digno, sem precisar passar por cima de ninguém.
  • Não se acomode com o que está acontecendo, lute e construa o seu espaço. Pode ser que você esteja cansado ou desaminado, mas se não correr atrás de seus objetivos, eles não vão acontecer.
  • Aproveite para sair com os amigos e sua família, valorizando esses momentos por mais simples que sejam. Devemos ter ao nosso lado pessoas que nos fazem bem, sabendo diferenciar das que não fazem.
  • Liberte-se do passado e de tudo que te fez mal, ficar remoendo fatos já vividos não traz nenhum benefício. Então deixe de lado e bola pra frente.
  • Respire fundo e acalme sua mente, não tenha uma bagunça energética por pouca coisa e mantenha-se sereno.

Todos têm modos de pensar e viver diferentes, sabemos também o que nos deixa feliz e nos faz viver melhor, então aproveite cada momento da sua vida como se fosse o último. Valorize cada gesto de amor e carinho e retribua, afinal, sua parte está sendo feita.

Agradeça, sonhe, faça planos, e tudo o que te deixar feliz, pois a vida passa tão depressa, por isso devemos aproveitar intensamente cada minuto. Escolha a sua maneira de viver melhor. Até a próxima!

Qual é o melhor dia da semana para fazer sexo?

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da London School of Economics , na quinta-feira, dia central da semana de acordo com a ISO 8601 , É o melhor dia para desfrutar do sexo. Por quê? Aparentemente, está relacionado com a sincronização dos níveis hormonais do homem e da mulher.

A chave? Nós temos um relógio interno de cerca de 24 horas. Isso está dentro do nosso sistema em um nível celular. Até mesmo as algas têm um sistema interno similar, de acordo com pesquisas das Universidades de Cambridge e Edimburgo.

Ou seja, se você “configurar” seu relógio biológico um pouco antes nas manhãs de quinta-feira, quando os níveis de testosterona e estrogênio são quase cinco vezes mais altos do que em outras ocasiões, tenha certeza de que sairá de casa um pouco mais feliz do que outros dias.

Com que idade definimos nossa orientação sexual?

Você sabe quem te atrai e com quem você quer manter um relacionamento? Assumimos que, na adolescência, quando começamos a sentir atração romântica e física por outra pessoa, o ser humano já reconhece sua própria orientação sexual, ou seja, em que sexo (masculino ou feminino) se sente mais atraído. No entanto, uma nova pesquisa, publicada no Journal of Sex Research , descobriu que a orientação sexual continua a evoluir para a idade adulta.

Os conhecidos rótulos heterossexuais, gays ou bissexuais são, segundo este trabalho, errôneos quando se quer definir a sexualidade de uma pessoa, já que a atração por um sexo ou outro não é uma condição estática no tempo. Uma equipe da Universidade Estadual da Virgínia, mais conhecida como Virginia Tech , analisou as pesquisas de cerca de 12.000 estudantes e sua principal descoberta é que as mudanças nas atrações, a formação de casais e a identidade sexual são comuns desde a adolescência. e até se aproximar de 30, especialmente em mulheres.

Nós rotulamos logo e mal

“A orientação sexual envolve muitos aspectos da vida. Para quem somos atraídos, com quem fazemos sexo ou como nos identificamos “, explica a professora Christine Kaestle, principal autora deste estudo. Considere que até agora tem havido uma tendência muito clara por parte dos pesquisadores de se concentrar em apenas um desses aspectos ou dimensões para classificar as pessoas.

Em seu trabalho, os participantes, entre 16 e 30 anos, foram questionados sobre o gênero em que foram atraídos em momentos específicos. Suas respostas confirmaram que essa percepção ou sentimento varia com o tempo e que as três categorias tradicionais de heterossexual, bissexual e gay são insuficientes para descrever os diferentes padrões.

Após esta investigação, os autores se atrevem a descrever até nove categorias, embora as pessoas heterossexuais compõem o grupo majoritário e a que mostra menos alterações em suas preferências ao longo do tempo. Os homens, além disso, parecem mais propensos à heterossexualidade. Nove em dez, em comparação com três quartos ou menos de mulheres. Em gays e lésbicas, as maiores flutuações foram observadas ao longo dos diferentes estágios. Com este trabalho Kaestle quer corroborar que a idade adulta ainda é um momento muito dinâmico no desenvolvimento da orientação sexual.

O que as mulheres ejaculam?Nem todas as mulheres conseguem fazê-lo

Um líquido claro, de consistência semelhante a um lubrificante leve, que nada tem a ver com a umidade comum que acompanha a excitação nos genitais da mulher, e não é a urina. Um fluido muitas vezes tabu, e cuja existência foi discutida mesmo em seminários especializados. Agora não há dúvida: há mulheres que ejaculam e mulheres que não.

O primeiro a falar sobre isso foi Ernst Gräfenberg , o cientista alemão que deu nome ao ponto G, e a grande descoberta foi em 1981, quando a sexóloga americana Beverly Whiple publicou o caso de uma mulher que ejaculou em seu laboratório. Durante o clímax, ele emitiu uma grande quantidade de líquido.

Sua composição é principalmente uma mistura de fluido prostático, glicose e urina mínima. A próstata chamada de mulheres são glândulas uretrais e parauretrais que não são vistas a olho nu, mas estão na parede anterior da vagina. A ejaculação tem sido associada a mulheres cuja parede vaginal é mais espessa.

Entre os usuários de pornografia, é conhecido como esguichando .

O que esperar do sexo depois do casamento?

É quase certo que a vida conjugal satisfaz as condições para uma maior satisfação sexual. A coabitação, por exemplo, menos dada ao compromisso e a atitudes mais liberais, encontra menos motivação na sedução ou menos necessidade de investir em um relacionamento, o que inevitavelmente leva a uma vida sexual menos recompensadora. Por outro lado, um indivíduo casado será sempre menos provável de ser rejeitado ou não amado. Assim pensou o sociólogo Elyakim Kislev , da Universidade Hebraica de Jerusalém, até que alguns fatos o fizeram suspeitar que talvez o casamento não seja a melhor opção em termos eróticos.

A primeira suspeita como sociólogo ocorreu quando ele viu o aumento incontrolável, desde a década de 1960, de pessoas que decidiram satisfazer seus desejos fora dessa instituição, uma prática que gradualmente perdeu seu estigma. Uma pesquisa da Gallup mostrou que os americanos já têm 16 pontos a mais de probabilidade de nascer fora do casamento do que em 2000. “As pessoas estão tendo em seus relacionamentos extraconjugais algo que poderia ter mudado a forma como nos comportamos hoje”, diz Kisley. .

Juntos, mas não mexidos

Em seu novo estudo, publicado no Journal of Sex Research , Kisley analisou a extensão e os fatores que determinam a satisfação sexual em 3.207 pessoas de 32 a 46 anos, casados, solteiros, divorciados, solteiros que moram separados e que moram juntos. Além disso, estudou em cada caso seus níveis de autoestima sexual, comunicação erótica e frequência sexual, como preditores de satisfação. Ele observou que os casais casados ​​estão entre os grupos menos satisfeitos sexualmente e relataram taxas mais baixas de auto-estima sexual e habilidades de comunicação sexual do que a maioria dos grupos. O grupo que geralmente mostrou os maiores níveis de satisfação sexual é o de casais não casados ​​que vivem separados.

A única exceção foi a de solteiros solteiros, cuja satisfação sexual é ainda menor do que nos casais casados, devido à baixa frequência. Na auto-estima e na comunicação sexual, eles pontuaram mais alto. São realidades que permitem concluir que, talvez, o estado de solteirão não seja tão ruim quando é voluntário, pois relata um nível mais alto de bem-estar emocional, psicológico e social.